ADEGA NA MEDIDA CERTA NA MOSTRA EM BALNEÁRIO CAMBORIÚ




Ana Claudia Guerra e Phillippe Siarcos, que assinam a Sala da Adega na Casa Cor Balneário Camboriú, dão dicas de como montar um espaço para acomodar as bebidas em casa

O vinho caiu no gosto dos brasileiros e a tendência é que o consumo só aumente com o passar dos anos. O hábito também causou transformação nos lares. É o que confirma a dupla Ana Claudia Guerra e Phillippe Siarcos, do Guerra Siarcos Arquitetura. "Está em constante crescimento a inclusão de adegas em casa, independente do espaço disponível. O mercado hoje oferece equipamentos climatizados com capacidade de armazenar de 8 até 200 garrafas. Se a pessoa for um iniciante apreciador pode começar com uma adega de até 24 garrafas. Opções não faltam", comentam.

Eles exploraram o tema na "Sala da Adega", ambiente em exposição na Casa Cor Balneário Camboriú, onde propõem um living equipado com todas as operações e conforto para degustador nenhum botar defeito. Em uma área de 105m2 concentraram adega, lounge, bar de apoio e uma sala de estar generosa. Um espaço dos sonhos, porém a dupla - pé no chão - afirma que metragem não é problema, e sim solução.  

"O tamanho vai depender do acervo do cliente, mas é importante prever as futuras compras, os vinhos de coleção, os que deverão ficar armazenados por mais tempo e os que são degustados com mais frequência. Isso influenciará no tamanho e na setorização da armazenagem dos rótulos. Outro fator importante que influenciará bastante é a localização da adega, a preferência é por um local específico e isolado para armazená-la ou deixá-la à mostra, integrada ao lounge, ou living, ou sala de jantar. Fazendo assim parte da decoração da casa", explica Ana. 



A dupla também aconselha a utilização de materiais naturais e duráveis - como pedra e madeira -, que ajudam na conservação das bebidas. "No ambiente optamos pela madeira natural Rovere da Dell Anno no forro e base, revestimento  Box Platinum em mármore Preto Nero da Mosarte nas paredes e no piso madeira Peroba Mica escovada. Para os suportes das garrafas criamos estruturas em ferro com banho dourado afastadas da parede, que abrigam as bebidas levemente inclinadas para manter a rolha sempre em contato com o vinho, usamos porta de correr em vidro incolor para deixar a coleção à mostra". 

A temperatura é alma da adega. E deve ser mantida fria em torno de 12 a 18ºC com oscilações de até 0,5ºC, para não comprometer o processo de envelhecimento do vinho. Em locais mais quentes, os profissionais alertam para a necessidade do uso de condicionadores de ar específicos. 


"A umidade relativa do ar adequada é em torno de 70%. E na iluminação deve-se optar pelas lâmpadas de baixíssima potência. Usamos iluminação indireta bem sutil com fitas de led voltadas para a parede de mármore, embutidas no forro com lâmpadas MR11 led, pontuando as garrafas para auxiliar na escolha dos rótulos", explicam os profissionais. Eles compartilham mais dicas sobre o assunto abaixo:

1) Um canto sem uso pode virar uma adega bem bacana e funcional, uma área de 1,00 x 1,50m já acomoda no mínimo 60 rótulos. O  ideal seria integrar a adega com o jantar, living ou gourmet, fazendo dela um elemento de destaque na decoração do espaço;
 
2) Priorizar materiais nobres e naturais - como pedras e madeiras - nos revestimentos das superfícies da adega. Tons sóbrios sempre conversam com os rótulos, aquecendo e criando atmosfera acolhedora;
 
3) O armazenamento das garrafas pode ser em suportes individuais com estruturas leves e afastadas da parede, como as estruturas em ferro com banho dourado que desenhamos para a Casa Cor, dando um ar mais moderno e saindo dos tradicionais nichos de madeira. Além de evidenciar cada garrafa, permite fácil observação dos rótulos, otimizando espaço e boa circulação de ar. Uma dica funcional é deixar as garrafas levemente inclinadas (angulação de   13º) , permitindo que o vinho fique em contato com a rolha, ajudando na conservação e mantendo a borra no fundo da garrafa;
 
4) A função da adega, espaço destinado ao armazenamento do vinho, é mantê-lo na temperatura adequada, cumprindo uma função quase obrigatória para quem aprecia a degustação da bebida. As adegas devem ficar em locais onde não haja incidência direta de luz, distantes do calor e da umidade. A temperatura deve ficar entre 12 a  18ºC com o uso de condicionador de ar específico para o local, mantendo os níveis exatos de temperatura e umidade;
 
5) A iluminação deve ser sutil, as lâmpadas de led são ideais por não aquecer o ambiente. Outra ideia bacana para quem comporta muitos exemplares é optar por um sistema eletrônico de localização, no qual cada rótulo é cadastrado no sistema e quando escolhido, uma luz de led indica a localização;
 
6) Há ainda a opção das adegas climatizadas que podem abrigar de 8 a 50 garrafas de vinho, instaladas em locais estratégicos perto da sala de jantar ou gourmet, inseridas em nichos próximos ao buffet ou a bancada;
 
7) O mais importante é saber que a decoração de uma casa reflete a personalidade do seu dono e para os amantes da bebida, o vinho e seus assessórios quando inseridos na decoração, projetam o gosto refinado do morador.
 

Comentários

Postagens mais visitadas